Procuração de plenos poderes: o que é e como fazer!

A procuração de plenos poderes facilita a resolução de problemas. A partir do documento, uma pessoa adquire o poder de representar outra pessoa, podendo usá-lo para assinar contratos, negociar dívidas, dentre outras possibilidades.

Para compreender melhor a procuração e entender se ela é a melhor solução para o seu negócio, respondemos neste conteúdo as principais dúvidas sobre o assunto. Além das explicações, ensinamos como fazer uma procuração de plenos poderes e compartilhamos ferramentas que facilitam o processo. Continue a leitura e confira!

O que é uma procuração de plenos poderes?

Trata-se de um documento que autoriza uma pessoa a representar outra em negociações, vendas, compras e outras situações jurídicas. A pessoa que recebe a autorização é nomeada como procuradora e, a partir do momento da assinatura, tem o poder de agir em nome do procurado.

O documento é indicado para momentos em que não é possível resolver pessoalmente a situação exigida. Por exemplo, você realizou a venda de um imóvel, mas está em uma viagem fora do país e não poderá assinar o contrato de venda. Com a procuração de plenos poderes, outra pessoa pode assiná-lo em seu nome.

Caso queira a autorização para outra pessoa fazer cobranças para a sua empresa ou para você, recomendamos que esse procurador tenha acesso ao nosso guia completo sobre cobranças. Após a leitura, ele se tornará um expert em negociar dívidas.

Para que serve a procuração de plenos poderes?

Assim como falamos anteriormente, a procuração de plenos poderes permite que o procurador represente o procurado em diferentes âmbitos, como na assinatura de uma certidão de casamento, transferência de imóveis, fechamento de uma conta e na assinatura de empréstimos.

Por exemplo, você está em busca de informações sobre o empréstimo MEI e, após considerar a ação uma boa solução, precisa que alguém assine o documento em seu lugar, já que não poderá comparecer presencialmente. Nesse momento, o procurador entra em cena e conclui o trâmite.

Geralmente, esse tipo de procuração é a solução ideal para quem passará uma temporada fora do país ou realiza muitas viagens. Os empresários que possuem uma rotina repleta de compromissos também costumam ser adeptos ao documento.

Falando em assinaturas, você já ouviu falar em assinatura digital? Acesse a Serasa Experian e entenda!

Procuração pública e privada: quais são as diferenças?

A diferença é que a procuração particular não necessita da assinatura de testemunhas e não fica registrada no cartório. A versão pública é considerada uma opção mais segura, sendo feita por um Tabelião de Notas e fica registrada no livro do cartório.

Caso precise do documento para a oficialização de um casamento ou outros assuntos mais sérios, a opção pública é obrigatória. Em comum, as duas alternativas devem ter o reconhecimento de firma e serem assinadas pelo procurador e pelo procurado.

Quando fazer uma procuração?

Existem inúmeras situações no qual a procuração é a melhor solução. Dentre elas, estão:

  • Venda ou compra de imóveis;
  • Assinatura de contratos, divórcios e outros documentos;
  • Fechamento de financiamentos;
  • Representação de instituições financeiras.

Quem pode fazer uma procuração de plenos poderes?

Todas as pessoas acima de 18 anos que podem exercer os direitos de um cidadão civil. É importante ressaltar que o documento dará total poder para outra pessoa te representar, sendo imprescindível escolher um procurador de confiança para assumir a responsabilidade.

Como fazer uma procuração de plenos poderes?

O primeiro passo para fazer uma procuração de plenos poderes é definir quais direitos o procurador terá sobre o procurado. Geralmente, os contratos feitos possuem direitos limitados, garantindo maior segurança. Para criar um documento assertivo, indicamos que busque a ajuda de um advogado.

Em relação aos documentos necessários, eles mudam quando a solicitação é feita por uma pessoa jurídica ou física. No caso de uma pessoa física, são necessários os seguintes documentos:

  • Comprovante de residência;
  • Registro Geral (RG) e a Certidão de Pessoa Física (CPF) ou CNH do procurado;
  • Registro Geral (RG) e a Certidão de Pessoa Física (CPF) ou CNH do procurador;
  • As pessoas solteiras devem levar a certidão de nascimento, enquanto as casadas precisam comparecer com a certidão de casamento.

Para pessoas jurídicas, os documentos entregues serão:

  • Alta de nomeação da diretoria;
  • CNPJ da empresa;
  • Contrato social autenticado.

Durante o cadastro, ainda serão exigidas outras informações, como profissão, endereço e nacionalidade.

Qual é o valor para fazer uma procuração de plenos poderes?

Por ser feita em um cartório, a procuração não possui um valor definido. A dica é realizar uma pesquisa de preços e entender quais são as taxas cobradas por cada um dos escritórios disponíveis. Em média, o documento custa R$ 250,00, podendo variar para mais ou para menos.

Por quanto tempo a procuração de plenos poderes é válida?

A validade depende do prazo estipulado no momento da realização do documento. Em alguns casos, não é estipulado um prazo, logo, o contrato será válido por tempo indeterminado. Para oferecer mais segurança, alguns estabelecimentos definem um prazo de um ano para a renovação, como no caso do INSS e bancos.

Como cancelar uma procuração?

Para cancelar uma procuração vigente, o procurado deve ir até um tabelionato e declarar que deseja o fim da validade do documento, ou seja, solicitar uma revogação. Após o cancelamento ser concedido, o procurador não estará mais apto a representar o procurado em qualquer ação jurídica.

Conheças ferramentas para simplificar suas procurações

Ao investir em documentos digitais, é possível realizar a procuração de plenos poderes de forma online em uma videoconferência. Para isso, você precisa ter acesso à versão digital dos seguintes títulos:

  • e-CPF: essa versão digital do CPF ainda pode ser usada na assinatura digital de contratos, acesso a diferentes plataformas do governo e mais;
  • e-CNPJ: certificado digital usado para a transmissão de dados, assinaturas digitais, dentre outros serviços voltados para empresas;
  • e-Simples: trata-se de uma identidade digital para empresas optantes do Simples Nacional. Essas empresas devem ter o tamanho micro ou pequeno;
  • e-Jurídico: certificado digital de empresas para a assinatura de procurações e para garantir maior agilidade no dia a dia.

Agora que entendeu os detalhes sobre uma procuração de plenos poderes, sabe como adquirir o documento e conheceu ferramentas que facilitam o processo, ficou mais fácil entender se a solução atende às atuais necessidades do seu negócio.

Possui dúvidas sobre as ferramentas indicadas? Compartilhe seus dados e questionamentos no formulário presente ao fim da página. Um de nossos especialistas entrará em contato com você. Até a próxima!

Fonte: Serasa Experian

O post Procuração de plenos poderes: o que é e como fazer! apareceu primeiro em Informativo Empresarial.