O que é e para que serve fluxo de caixa descontado?

O fluxo de caixa descontado (FCD) é uma ferramenta fundamental no mundo das finanças e dos investimentos. Amplamente utilizado para avaliar o valor intrínseco de empresas, projetos e ativos, ele ajusta os fluxos de caixa futuros a uma taxa de desconto capaz de refletir riscos e incertezas.

Dessa forma, o FCD permite que analistas e investidores façam estimativas precisas sobre o valor presente dos fluxos de caixa esperados, fornecendo uma base sólida para decisões de investimento informadas.

Acompanhe a leitura e saiba como garantir a sustentabilidade financeira da sua empresa realizando corretamente o cálculo do FDC.

O que é fluxo de caixa descontado?

O fluxo de caixa descontado é um método de avaliação financeira utilizado para determinar o valor presente de um ativo, seja uma empresa, um projeto ou investimento, com base nos fluxos de caixa futuros esperados.

O método leva em consideração a premissa de que o valor residual varia, ou seja, R$ 1 hoje vale mais do que R$ 1 amanhã devido ao potencial de ganho de juros ou ROI.

Utilizado por analistas financeiros e investidores para estimar o valor intrínseco de um ativo, o FDC ajusta os fluxos de caixa futuros esperados a uma taxa de desconto específica, que reflete o custo de capital.

Além disso, esse processo financeiro permite calcular quanto esses fluxos de caixa valeriam no presente, proporcionando uma base sólida para a tomada de decisões de investimento.

Para que serve o fluxo de caixa descontado?

Veja a seguir algumas situações onde esse método é especialmente útil.

  • Valuation de empresas: o FCD é uma ferramenta essencial para investidores que desejam determinar o valor de uma empresa. Ao descontar os fluxos de caixa projetados para o presente, os investidores podem comparar o valor intrínseco da empresa com seu valor atual de mercado, identificando oportunidades de investimento ou riscos.
  • Avaliação de projetos: o FCD é necessário para avaliar a viabilidade financeira de novos projetos. Dessa forma, a empresa pode analisar se os fluxos de caixa futuros esperados justificam o investimento inicial e os riscos associados.
  • Decisões estratégicas: gestores financeiros e executivos utilizam o FCD para suportar decisões estratégicas, como fusões, aquisições e expansões, garantindo que essas decisões gerem fluxos de caixa valiosos para os acionistas.

Como funciona o fluxo de caixa descontado?

O processo de fluxo de caixa descontado envolve várias etapas críticas para calcular o valor presente dos fluxos de caixa futuros.

Entenda melhor no passo a passo abaixo:

  • Projeção dos fluxos de caixa futuros: o primeiro passo é projetar os fluxos de caixa futuros esperados de um ativo. Isso pode envolver análise de receitas, despesas, investimentos e outros fatores que impactam os fluxos de caixa.
  • Escolha da taxa de desconto: a taxa de desconto é muito importante, pois ajusta os fluxos de caixa futuros ao seu valor presente, refletindo o risco e a incerteza associados a esses fluxos. A escolha da taxa de desconto pode ser influenciada por:
    • Custo de capital próprio: para empresas, o custo do capital próprio é frequentemente usado como taxa de desconto. Ele reflete a expectativa de retorno dos investidores de ações da empresa.
    • Custo médio ponderado de capital (WACC): o WACC é uma média ponderada do custo do capital próprio e do custo da dívida da empresa. Muito utilizado para considerar a estrutura de financiamento da empresa.
    • Taxa livre de risco: a taxa de retorno de investimentos sem risco, como títulos do governo, pode servir como base para uma taxa de desconto. Em seguida, um prêmio de risco é adicionado para refletir o risco adicional associado ao investimento específico.
    • Prêmio de risco: adicionado à taxa livre de risco para refletir o risco específico do investimento. Esse prêmio pode variar dependendo do setor, da empresa e dos recursos financeiros disponíveis.
    • Taxa de retorno esperada pelo investidor: para investidores individuais, a taxa de desconto pode ser a taxa de retorno que eles esperam obter em um investimento alternativo com um perfil de risco semelhante.
  • Desconto dos fluxos de caixa: cada fluxo de caixa futuro é ajustado para seu valor presente, considerando o efeito do tempo e a taxa de desconto escolhida. Isso significa que os fluxos de caixa que ocorrerão no futuro são convertidos em seus valores equivalentes no presente.
  • Soma dos valores presentes: os valores presentes dos fluxos de caixa futuros são somados para obter o valor total presente do ativo (apresentamos  a fórmula abaixo).

A taxa de desconto é um fator determinante no cálculo do FCD. Uma taxa de desconto alta reduzirá o valor presente dos fluxos de caixa, refletindo maior risco ou custo de oportunidade, enquanto uma taxa baixa aumentará o valor presente, indicando menor risco.

Para um planejamento financeiro eficiente, baixe nosso manual exclusivo e descubra como identificar oportunidades de redução de custos. Realizar o controle financeiro empresarial é descomplicado com a Flash!

Fórmula do fluxo de caixa descontado

O cálculo do valor presente de um fluxo de caixa futuro, ajustado por uma taxa de desconto, pode ser calculado com a seguinte fórmula:

Exemplo de cálculo do fluxo de caixa descontado

Vamos considerar uma empresa fictícia que espera gerar os seguintes fluxos de caixa nos próximos 5 anos:

  • Ano 1: R$ 50.000
  • Ano 2: R$ 55.000
  • Ano 3: R$ 60.000
  • Ano 4: R$ 65.000
  • Ano 5: R$ 70.000

A taxa de desconto utilizada é de 10% ao ano.

Cálculo do DCF para cada ano

Somando todos os valores presentes

  • DCF = R$45.455 + R$45.455 + R$45.083 + R$44.393 + R$43.444 = R$223.830

Portanto, o valor presente dos fluxos de caixa futuros, utilizando a taxa de desconto de 10%, é de R$ 223.830.

Comparação entre o FCD e outros métodos de valuation

Método Definição Vantagens Desvantagens

Fluxo de caixa descontado (FCD)

Calcula o valor presente dos fluxos de caixa futuros, descontados por uma taxa de retorno adequada. Considera as projeções detalhadas de fluxo de caixa e o valor do dinheiro no tempo. Requer estimativas detalhadas e precisas dos fluxos de caixa futuros e da taxa de desconto.

Múltiplos de EBITDA

Baseia-se na multiplicação do EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation, and Amortization) por um múltiplo do setor. Simples de calcular e amplamente utilizado em avaliações rápidas. Não considera a estrutura de capital nem a capacidade de geração de caixa futuro da empresa.

Valor patrimonial

Avalia a empresa com base no valor contábil dos ativos menos os passivos. Fácil de calcular e baseado em informações contábeis disponíveis. Pode não refletir o valor de mercado atual ou o potencial de crescimento futuro da empresa.

Avaliação por comparáveis

Compara a empresa com outras similares do mesmo setor, utilizando múltiplos financiamentos. Baseado em dados de mercado real, permitindo uma avaliação rápida e comparativa. Difícil encontrar comparáveis perfeitos; pode não considerar diferenças significativas entre empresas.

Valor de mercado

Utiliza o preço atual das ações multiplicado pelo número total de ações em circulação. Reflete a percepção do mercado sobre o valor da empresa em tempo real. Pode ser influenciado por fatores de curto prazo e não refletir o valor intrínseco ou a longo prazo.

Para as empresas, é essencial contar com métodos, cálculos e sistemas que proporcionem segurança financeira e precisão de dados, não é mesmo?

Conheça a Flash e descubra como elevar a gestão financeira a outro nível. Obtenha relatórios detalhados, processos de reembolso automáticos e o controle de despesas em uma única plataforma integrada às operações financeiras da sua empresa.

Fonte: Folha Certa

O post O que é e para que serve fluxo de caixa descontado? apareceu primeiro em Informativo Empresarial.