Inovação, persistência e paixão pelo trabalho: mulheres comandam mais de 200 mil pequenos negócios no ES

Aos 36 anos, a empresária Ana Paula Braun é movida por uma grande paixão: ser a dona do próprio negócio. O que começou com duas salas comerciais, transformou-se, em oito anos, em uma rede de clínicas de estética na Grande Vitória, uma franquia em expansão e uma linha de produtos nutricosméticos.

Mas, assim como acontece com muitas mulheres que decidem empreender, o caminho até o sucesso foi marcado por muitos percalços. Ana Paula já tinha experimentado a falência de dois negócios consecutivos e ainda terminava o curso de Nutrição quando resolveu arriscar de novo e criar a Clínica Execelência.

“Em 2015, eu recebi a proposta de uma amiga, que estava de mudança, de alugar o consultório dela. Foi um tiro no escuro, vi ali um grande desafio, mas enfrentei meu medo e ressignifiquei aquela situação como uma grande chance”, recorda.

Um levantamento realizado pelo Sebrae/ES revela que Ana Paula integra o segmento com a maior concentração de empreendedoras no estado: o de serviços. Desse grupo, mais de 106 mil mulheres lideram empresas no estado e cerca de 8 mil delas atuam na área de tratamentos de beleza.

Para ganhar espaço nesse mercado concorrido, a capixaba percebeu que precisaria investir em duas frentes: treinamento e produção dos insumos usados nos tratamentos. “Desenvolvi um método para padronizar todos os atendimentos e criamos a nossa própria linha de produtos, garantindo toda a qualidade, tecnologia e inovação por um preço melhor”, explica.

Ana Paula é proprietária da Clínica Execelência

Representatividade em todas as formas

No Espírito Santo, mais de 200 mil mulheres estão à frente de empreendimentos e cerca de 80% delas são microempreendedoras individuais (MEI). É a realidade, por exemplo, de Bárbara Bastos, 44 anos, que mora em Vila Velha. Dona de uma loja on-line especializada em moda afro desde 2018, ela precisa se virar para dar conta de tudo.

“Trabalhar em ‘EUquipe’ é domar um touro todos os dias. Preciso acompanhar a produção das peças, cuidar das redes sociais, atender clientes, fazer pesquisas e encontrar inspiração para novas peças… Então, paro, respiro, olho para mim e me pergunto: vou desistir? A resposta é: nunca”, reflete Bárbara, que também se desdobra, com a ajuda do marido, para cuidar da casa, do filho de 9 anos e dos pais idosos.

Bárbara: moda com cores e ancestralidade.

Mais do que garantir uma renda, o empreendedorismo surgiu na vida de Bárbara a partir de uma demanda pessoal por representatividade. Após o nascimento do filho, ela passou a ter mais dificuldade em encontrar peças bonitas e coloridas para o seu corpo.

No pós parto, eu cheguei a pesar 115 kg. E quando saía para comprar roupas, as peças eram sem corte, sem graça. Além disso, em muitas lojas que eu visitava, as pessoas ficavam me olhando, me vigiando. Por isso criei a Barbarizy, com roupas de cores vibrantes, que carregam um pouco de alegria e ancestralidade com a modelagem plus”.

Bárbara faz parte de outra estatística de representatividade no Espírito Santo: 55% das empreendedoras são negras. E, mesmo com a rotina puxada, ela não esconde o orgulho de trabalhar em algo que faz a diferença para outras mulheres.

“Eu faço atendimento via vídeo, mostro as medidas, as cores sem filtro, faço com que a cliente se conecte mais à peça”, conta a comerciante, que a cada dois meses viaja até o Rio de Janeiro para participar de feiras de exposição.

O foco é vender para os cariocas, turistas de outros estados e países, e levá-los a conhecer a marca. É cansativo? Sim. Mas sem planejamento, não tem crescimento.

Bárbara Bastos, dona da Barbarizy, loja on-line de moda afro.

Suely Lima: empreendedorismo e inclusão

Empreendendo pelo direito de ocupar espaços

A falta de representatividade no mercado também foi um motivador para Suely Lima, 36 anos, moradora de Cariacica e proprietária do Arteliciasdasu. Ao frequentar feiras de artesanato e agricultura familiar, a empreendedora, que é cadeirante e tem uma doença rara, não encontrava outras mulheres que vivenciam a mesma realidade.

“A cada feira que eu participava como visitante, chamava mais a minha atenção a ausência de pessoas com deficiências. E antes mesmo de criar a minha loja on-line, eu sempre desenvolvi produtos de artesanato, como crochê. Em 2020, participei da minha primeira feira como expositora e esse foi o pontapé”, recorda.

Para Suely, seu maior desafio como empreendedora é o mesmo que enfrenta em outros momentos da vida: superar os questionamentos de quem duvida da sua capacidade. Além disso, muitas feiras de artesanato ainda são realizadas em espaços que não oferecem acessibilidade.

“Eu busco, por meio do diálogo, informar sobre adequações e atendimentos específicos nos espaços, que precisam ser acessíveis para possibilitar minha presença e permanência. Essa é a forma mais sutil de ensinar e provocar, no outro, que tenha um olhar mais humano, mais respeitoso com a diversidade”, avalia.

Apesar das dificuldades, Suely enxerga no empreendedorismo um meio para estimular, empoderar e resgatar a autoestima das pessoas com deficiência. “Com o meu negócio, tenho a oportunidade de conquistar uma renda, enxergar possibilidades de inovação, acessar espaços diversos com meus produtos.”

Sonhos não envelhecem

Quem conhece Venda Nova do Imigrante ou teve a oportunidade de curtir alguns dias de lazer na cidade, certamente teve contato com algum empreendimento do grupo Família Venturim. O que começou com um pequeno posto de combustíveis à beira da estrada, em 1991, foi se transformando em uma rede variada de serviços. Um dos principais nomes à frente desses empreendimentos é o de Ana Venturim Porto, de 60 anos. “Mulheres administrando postos de estrada eram raras, mas o tamanho do sonho era grande”, reflete Ana.

Ana Venturim: legado de família virou negócios de sucesso

Buscando diferenciais para um negócio comum, foi a tradição italiana que levou a família a criar um produto inovador e que ganhou destaque nacional: as massas saborizadas. De lá para cá, vieram o hotel, o restaurante, a produção de biscoitos e outros produtos. “Termos criado empreendimentos complementares no mesmo local favoreceu muito os nossos negócios e facilita muito a vida de quem nos visita. E quando uma área tem menor demanda, a outra a supre.”

Sempre atenta às tendências do mercado, há pouco mais de um ano Ana e o marido se mudaram para Vitória e deram início a um novo empreendimento: a cafeteria Make a Coffee. “A chegada à capital no ramo de bistrô e cafeteria também tem sido excitante. A vida começa aos 60”, celebra.

Mulheres inspiradoras no EmpoderaDONAS

As histórias inspiradoras de Ana Paula, Bárbara, Suely, Ana e de outras mulheres vão ser contadas durante o EmpoderaDONAS, maior encontro sobre empreendedorismo feminino do Estado, que acontece no próximo dia 21, terça-feira, no Centro de Convenções de Vitória. Realizado pelo Sebrae/ES, o EmpoderaDONAS vai contar com mais de sete horas de conteúdos, com oficinas, mentorias, networking e palestras. As inscrições estão esgotadas.

Além das atrações nacionais, já estão confirmadas a participação de personalidades capixabas, como Julia Caiado, fundadora e CEO do Global Touch; Ana Lima, especialista do afroempreendedorismo feminino; e Liana Figueiredo, mentora e consultora de líderes. A programação completa está disponível no site empoderadonas.com.br.

“Distribuídas em três palcos, as palestras abordarão temas essenciais ao universo das empreendedoras, como vendas, protagonismo, maternidade, redes de apoio, imagem pessoal e comunidades. O evento será marcado por muito conhecimento, emoção e depoimentos incríveis de mulheres inspiradoras, além de ser um espaço para impulsionar negócios”, conta Andrea Gama, coordenadora estadual do Sebrae Delas.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Érica Souza: (27) 99784-2546/ [email protected]

Marcela Reis: (27) 99272-2170/ [email protected]

Rogéria Gomes: (27) 99913-2720 / [email protected]

INFORMAÇÕES PARA EMPREENDEDORES

Central de Relacionamento Sebrae – 0800 570 0800

Os textos veiculados pela Agência Sebrae de Notícias – ES são produzidos pela Assessoria do Sebrae/ES e podem ser reproduzidos gratuitamente, apenas para fins jornalísticos, mediante a citação da Agência.

Fonte: Agência Sebrae

O post Inovação, persistência e paixão pelo trabalho: mulheres comandam mais de 200 mil pequenos negócios no ES apareceu primeiro em Informativo Empresarial.