Encerramento humanizado de contrato: Uma Fábula Corporativa ou Realidade?

imagine um encerramento humanizado de contrato, como um conto de fadas, parecendo ilusórias e perfeitas, o mundo dos contos de fadas, onde fadas madrinhas e príncipes encantados tornam tudo mágico e ilusório. Nesses contos, cada história parece perfeita e, mesmo quando acontecem problemas, o final é sempre feliz.  

No entanto, estas não precisam ser histórias mágicas – elas podem se tornar realidade com líderes devidamente treinados e um departamento de Recursos Humanos estratégico e conhecedor das complexidades da gestão de pessoas. A demissão humanizada pode se transformar de mito em realidade.

Principais Causas do encerramento de contrato

Conforme o estudo realizado pela Robert Half no Brasil em 2023, os principais motivos de demissão incluem: baixo desempenho, violação de políticas da empresa, falta de habilidades necessárias e incompatibilidade com a cultura organizacional.

Tais razões, quando persistentes e após diversas tentativas de melhoria, podem levar ao desligamento inevitável.

É preciso ter clareza para compreender que o líder e área de recursos humanos, tem grande responsabilidade no processo de demissão, mas também não descartar a responsabilidade do colaborador.

Em muitas empresas o líder parece o vilão da história, e o colaborador a vítima. Existem chefes extremamente mal preparados, os #DinoChefes como chamo ele, que só se baseiam em suas percepções ou vieses para demitir um colaborador. Porém por outro lado, temos colaboradores que colaboram muito pouco com sua equipe e a empresa, e são extremamente improdutivos.

Uma relação de trabalho, precisa além de confiança, ter transparência, respeito boa comunicação e também ter as responsabilidades bem definidas de ambos lados: líder e liderado.

Precisamos parar de infantilizar as relações, e tratar adultos como adultos! É possível? SIM.

Encerramento humanizado de contrato e seus benefícios

O encerramento humanizado de contrato, ou demissão humanizada, é um processo em que a empresa desliga um funcionário de maneira digna, transparente e compreensiva. Contrariando as demissões tradicionais, muitas vezes impessoais e abruptas, a demissão humanizada tem em conta o impacto emocional sobre o indivíduo e busca mitigá-lo.

Os benefícios se estendem desde a manutenção de uma reputação positiva para a empresa, a gestão eficiente de possíveis riscos legais até a conservação do moral dos funcionários remanescentes.

Cinco Recomendações para Líderes e Recursos Humanos

Capacitação: Os líderes devem estar preparados para lidar com a situação de maneira empática e profissional.

Comunicação Transparente e Respeitosa: A verdade é fundamental, mas a forma como é transmitida deve ser cuidadosa e respeitosa.

Ofereça Assistência: Proporcione ao funcionário desligado apoio para a recolocação profissional e ajuda emocional.

Sem Surpresas: O colaborador deve receber feedbacks constantes e estar ciente de seu status na empresa.

Dignidade é Fundamental: Mantenha o respeito à dignidade e profissionalismo do funcionário durante todo o processo.

Deslizes Comuns Durante a Demissão

O momento de demissão é algo muito sensível e pode se inundar de emoções, então é extremamente importante o líder estar bem preparado e com a inteligência emocional em dia.

Mesmo com as melhores intenções, líderes e profissionais de RH podem cometer erros durante a demissão, tais como presentear de maneira imprópria no momento da demissão ou agir de forma excessivamente emocional. Estas atitudes podem gerar ressentimento e confusão no funcionário.

Por exemplo, um líder que não controla suas emoções e acaba chorando de forma incontrolável durante a demissão pode deixar o funcionário desconfortável e duvidando da profissionalidade da situação. E podem acabar chorando juntos, o que mostra total despreparo e controle.

Outro fato muito comum, é no momento de demissão uma das partes agredir, ainda que verbalmente, a outra parte. Pode ocorrer e o líder deve estar preparado para manter-se controlado emocionalmente, e manter sua postura profissional. É fácil? Não, mas é necessário.

Demissão: Recurso Final Após Plano de Melhoria

A demissão deve ser a última alternativa, após a implantação de um plano de melhoria de desempenho. Contudo, há funcionários que não buscam aprimoramento, mas apenas receber um salário.

Nestes casos, os líderes e RHs devem tomar medidas o mais breve possível para não desestimular os demais funcionários e não incentivar comportamentos improdutivos.

Existem situações que é necessária uma ação ágil, e isso não é nenhum bicho de 7 cabeças e muito comum no mundo corporativo.

Lembre-se do ARCO: Atitude, Resultado e Consequência.

Tudo o que realizamos, sejamos líder ou liderados, segue esse ordem.

Reflexão Final: Demissão Como Passagem Natural da Carreira

A demissão é um evento natural na trajetória de qualquer profissional. Embora possa ser um momento doloroso, pode se transformar em uma oportunidade de reflexão profunda e aprendizado, especialmente se conduzido de forma estruturada e com respeito.

Eu já passei por esse processo e sobrevivi, e evolui.

Não fique preso a situação, ou tão pouco a pessoa que realizou o processo. Busque compreender, ter autorresponsabilidade, identificar seus pontos de melhorias e evoluir como ser humano, e claro como profissional.

Portanto, ao invés de temer a demissão, podemos encará-la como uma chance para crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional. Claro que ninguém quer a demissão, mas ela pode ocorrer e deve ser encarrada como algum natural na relação de trabalho.

Então, para você, a demissão humanizada é uma realidade tangível ou apenas uma fábula corporativa?

Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe esse artigo com seus amigos líderes, recursos humanos e todos outros que podem aprender com esse conteúdo!

Fonte: Portal RH

O post Encerramento humanizado de contrato: Uma Fábula Corporativa ou Realidade? apareceu primeiro em Informativo Empresarial.